20/01/2013

Sintaxe à vontade.








Sem horas e sem dores,
Respeitável público pagão.
Sem horas e sem dores,
Bem-vindos ao teatro magico.

Todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser, todo verbo é livre para ser direto ou indireto.
Nenhum predicado será prejudicado, nem tampouco a frase, nem a crase, nem a vírgula e ponto final!
Afinal, a má gramática da vida nos põe entre pausas, entre vírgulas, e estar entre vírgulas pode ser aposto,
e eu aposto o oposto: que vou cativar a todos sendo apenas um sujeito simples.
Um sujeito e sua oração,sua pressa, sua prece.
Que enxerguemos o fato de termos acessórios para nossa oração.
Separados ou adjuntos, nominais ou não, façamos parte do contexto, sejamos todas as
capas de edição especial.
Mas, porém, contudo, entretanto, todavia, não obstante, sejamos também o anúncio da contra-capa,
pois ser a capa e ser contra a capa é a beleza da contradição.
É negar a si mesmo.
E negar a si mesmo é muitas vezes encontrar-se com Deus. Com o teu Deus.

Sem horas e sem dores,
Que nesse momento que cada um se encontra aqui e agora,
Um possa se encontrar no outro,
E o outro no um...
Até por que, tem horas que a gente se pergunta:
Por que é que não se junta
Tudo numa coisa só?


4 comentários:

  1. Respostas
    1. Sim, é maravilhoso, Carol. Cada dia fico mais encantada!

      Excluir
  2. Oi Isa, adorei conhecer o Teatro Mágico...não conhecia e gostei batante!
    Seu blog é super bacana, parabéns!
    Bjão flor


    www.lerepensar.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada. O Teatro Mágico tem um talento raro nos dias de hoje. Beijo, Gabi.

      Excluir

 

criado e codificado para o blog ficcionalmente real
cópia proibida © 2015