21/03/2013

Em Comum



 Assim que atravessei a rua, dei de cara com Tomás. Voltava da minha corrida noturna, e ele, do emprego de soldador no centro da cidade. Um silêncio constrangedor se fez, mas não demorou muito para ser quebrado por Tomás.

- Oi!
- Oi Tomás!

 O silêncio voltara.

- Então... Minha irmã vai inaugurar uma cafeteria amanhã, se você quiser ir...
- Eu não sei... - interrompi.
- Eu ia ficar muito feliz.
- É... Tá... Pode ser.
- Às cinco amanhã. pode ser?
- Combinado.

 No dia seguinte saí mais cedo da livraria. Tomás passaria às cinco para me buscar, eu precisava estar pronta. 
 Não muito depois do horário combinado, Tomás tocara a campanhia. Antes que eu pudesse dizer algo, ele se antecipou:

- Você está linda!

 Suspirei e respondi:

- Obrigada!

 A caminho do café, Tomás e eu conversamos naturalmente, e algumas gargalhadas até ocuparam o lugar daquele silêncio constrangedor.
 Já na mesa do canto, perto da janela, saboreávamos nossos capuccinos.

- Eu não sabia que você tinha uma irmã.
- Pois é. A Tereza morava com meus pais na Holanda.
- Holanda? Uau!
- Sim. Mas assim como eu, ela sempre quis voltar para o Brasil. Depois que eu voltei não demorou muito para que ela fizesse o mesmo.
- "Peraí", você morava na Holanda???

 Ele riu.

- É! Minha família se mudou para lá quando eu tinha 7 anos, e a Tereza 15.
- E você gostava de morar lá?
- Sim. Foram 16 longos e maravilhosos anos! Mas, nada como a terra da garoa, não é? - Sorri. - E de alguma forma sentia que precisava voltar ao Brasil.  Tinha algo que me chamava... Acho que era você.

 Corei!

- Eu não sabia que você tinha vindo da Holanda. Você não tem sotaque algum. - Soltei, num tentativa frustrada de mudar o rumo da conversa.
- Tem muita coisa sobre mim que você não sabe.

 Corei! Novamente. Droga!

- Vai, agora é a sua vez!
- Minha vez?
- É! Me conta alguma coisa sobre você. Algo surpreendente!
- Surpreendente? Hum... Que difícil! Não sei...  Odeio queijo. Coleciono etiquetas... Ah! Nunca assisti Harry Potter! É... tenho todos os discos do Nando Reis, tenho um pôs...
- Você? - perguntou Tomás, surpreso, em meio a risos.
- Eu o quê?
- Você é fã do Nando Reis?
- Desde que eu me entendo por gente!!!
- Não dá para acreditar! - disse Tomás, ainda sorrindo.
- Por que? Não tenho cara de que sou fã dele?
- Não. Quero dizer... Não é isso. É que eu também tenho todos os discos dele!
- Verdade? Nossa! Você é o primeiro homem que eu conheço, que não me critica pelo meu gosto musical.
- Criticar? Claro que não! Você é a primeira pessoa que eu conheço que se diz fã MESMO dele... A maioria só ouve e... gosta! - dissemos isso juntos, e... gargalhamos também!

 Passamos as próximas duas horas "discutindo" quem era fã a mais tempo, eu comentando os shows inesquecíveis que tive a chance de ir, e ele se lamentando por nunca ter ido a nenhum e ter se contentado apenas com os DVD's que chegavam na Holanda. 
 Tínhamos algo em comum (além do endereço), e confesso que tinha gostado de descobrir isso.
 Voltando para casa, nos vimos cantando "Por onde andei" feito crianças, na calçada, esquecendo que estávamos no meio da rua e não em um vídeoclipe. Quase no fim do refrão, Tomás me puxou pela mão e me parou bem em frente ao chafariz. 


 No céu, a lua cintilava sobre nós. Nosso olhar se uniu por alguns segundos, e então... nos beijamos!

 Naquela noite, chegando em casa, me dei conta de que Tomás já não era apenas o carinha do andar de baixo. Ele era bem mais que isso.  Ele era o cara por quem eu estava completamente apaixonada!



               "Por onde andei? Enquanto você me procurava..."





7 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigaaaaada! *-*
      Vai ter mais!!! (: Fica de olho no blog ;)

      Beijos!

      Excluir
  2. Oi, como está?
    Amei seu blog, seu texto está maravilhoso, e a inclusão do Nando rsrs ficou linda!!
    Também gosto muito dele!
    Tem post novo no blog,
    passa lá e confere!
    Sua volta é sempre bem vinda!

    endless-poem.blogspot.com.br

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Sarah! (:
      Vou dar uma olhada no seu blog.

      Beijos!

      Excluir
  3. Adorei o texto! Nando Reis é ótimo mesmo, inspirador parar escrever um texto como esse!
    Uma boa música dele para se inspirar é 'Luz dos olhos'.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você quanto ao Nando Reis! *-*
      E obrigada! Vou ouvir "Luz dos olhos"

      Beijos, Isa!

      Excluir

 

criado e codificado para o blog ficcionalmente real
cópia proibida © 2015