18/09/2013

Tradução

 Quando eu digo que tenho um blog sempre ouço um “que legal!” e logo em seguida um “qual é o nome?”, então respondo “Ficcionalmente Real”, e uma interrogação surge no olhar das pessoas. “Hummm, já gostei do nome!”, elas respondem, mas o ar interrogativo permanece lá, nitidamente. Não, elas nunca perguntam o porquê do nome atribuído, exceto minha mãe que num sábado qualquer, no meio de uma faxina doméstica, enquanto conversávamos sobre o blog, soltou: “me explica. O que significa ‘Ficcionalmente Real’?”. Não tinha a resposta na ponta da língua, confesso. Na verdade não há um motivo exclusivo de nomearmos o blog com esse paradoxo. “Ficção” e “realidade”: duas palavras de sentidos contrários, porém que traduzem claramente o universo paralelo em que a Gabi, eu e todos os aficionados por literatura vivemos.
 Os livros são, em sua maioria, obras fictícias nas quais a realidade é, de alguma maneira, reproduzida com personagens - que certamente nunca existiram de verdade – vivendo histórias imaginadas. Com sinceridade: quem nunca se viu piamente nessas pessoinhas feitas, não de carne e osso, mas sim de letras? E podia jurar que aquele escritor espionou sua vida durante os últimos anos para escrever aquele episódio idêntico ao que você viveu? Eu e mais milhares de pessoas, não é? Pois é, é aí que eu quero chegar. Mesmo que seja ficção, paralelamente é real. É ficcionalmente real.
 Muito do que lemos traduz a gente de forma inexplicável, seja uma frase ou um livro inteiro. E parando para analisar, foi isso que eu e a Gabi começamos a notar. Levando em conta os traços psicológicos, personagens dos nossos romances favoritos poderiam facilmente ser confundidos conosco.

 Às vezes, é claro, a ficção não chega nem perto da nossa realidade. Quantas vezes não lamentamos por aquela história de amor nunca ter acontecido com a gente? Ou por aqueles personagens não serem nossos vizinhos e nossos melhores amigos? Ou ainda, por nosso colégio não ser nem um pouco daquele jeito, e por nunca termos as agitadas, românticas e tão sonhadas férias de verão do jeitinho que estão nos livros? Eu sei, a gente sabe. Há coisas que fogem da nossa cultura e da realidade em que estamos inseridos. Há outras ainda, que são mirabolantes demais para acontecerem do lado de fora das páginas, mas... Se não der pra ser real, a gente inventa! E é a partir daí que damos asas a imaginação e começamos a criar nossa realidade inventada. Inventamos pessoas, lugares, e situações as quais gostaríamos de viver. E nos apaixonamos por cada canto do nosso universo paralelo. E cada personagem, de algum ângulo, nos traduz. Seja por seus trejeitos, sua fala ou seu modo de ver a vida. Todos eles, mesmo sendo ficcionalmente reais, fazem parte de nós.


7 comentários:

  1. Izadora, engraçado que a questão do nome do seu blog sempre foi clara pra mim! Rsrsrs... O texto com a explicação ficou excelente!

    Abraços, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura? Nossa que bom! *-* Mas acho que nem pra todo mundo é assim, rs
      Muito obrigada, Isa! E obrigada por cada comentário que você deixa aqui!

      Beijos! :3

      Excluir
  2. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Antônio! É muito bom ler algo assim... ♥ Faço tudo com muito carinho aqui no blog e me dedico bastante a ele. Volte mais vezes sim (: E obrigada de verdade!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. haha Adorei o texto, eu também sofro com isso. O nome do de vocês da pelo menos pra deduzir e o meu só sabe o significado quem gosta da Clarice falcão. Seguindo meninas, beijos!
    SEZEMBRO.BLOGSPOT.COM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Raiza! ^.^
      Aaaaah, eu amo essa música da Clarice: "Eu me lembro"! ♥
      Beeeeijos, e obrigada por seguir! Vou acessar seu blog ;)

      Excluir

 

criado e codificado para o blog ficcionalmente real
cópia proibida © 2015